Divas árabes.

Divas árabes, as mais belas mulheres do mundo árabe.

XXXXXXXXXXXXXXX

Yusra Mardini

Nadadora síria refugiada

Nadadora síria refugiada

Nadadora síria refugiada

Yusra Mardini é uma nadadora da Síria, de 17 anos, refugiada em Berlim, Alemanha, e pode integrar uma pequena equipe de Atletas Refugiados Olímpicos (ROA), sob a bandeira olímpica, nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro.
Yusra Mardini foi criada em Damasco, e treinava natação com o apoio do Comitê Olímpico sírio. Em 2012, ela representou a Síria no Campeonato Mundial de Natação para piscina de 25 m, nas categorias 200 metros medley individual, e nos 200 e 400 metros nado livre.
A Casa da família Mardini foi destruída na guerra civil síria.  Yusra e sua irmã, Sarah, decidiram fugir da Síria em agosto de 2015, chegaram ao Líbano, e depois a Turquia, de onde foram clandestinamente para a Grécia com 20 outros refugiados, em um barco construído para 6 ou 7 pessoas. Mas a embarcação afundou e as duas irmãs pularam nas águas do Mar Egeu para tentar fazer o barco flutuar novamente e ajudar pessoas que não sabiam nadar.  Empurraram o barco por mais de três horas, até chegar a Lesbos. Da Grécia foram pela Europa até a Alemanha, onde se estabeleceram em Berlim em Setembro de 2015.  Seus pais também fugiram da Síria e vivem na Alemanha.
Yusra continuou seu treinamento na Alemanha, visando as Olimpíadas de Tóquio, em 2020, mas a criação de um time de refugiados para a Rio-2016 e sua inclusão na lista de 43 possíveis membros, dão a Yusra a esperança de se classificar para os próximos Jogos Olímpicos. Ela tenta se qualificar nos 200 metros nado livre. Contudo sua participação está sendo discutida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).
Yusra Mardini, a nadadora síria com potencial para defender seu país nas olimpíadas 2016, que aos 14 anos tornou-se heroína ao salvar várias pessoas de afogamento em sua fuga.



XXXXXXXXXXXXXXX

Dina Kawar
Primeira mulher árabe a dirigir o conselho de segurança da ONU

Primeira mulher árabe a dirigir o conselho de segurança da ONU

Dina Kawar é uma diplomata jordaniana.  Em 2014 tornou-se a primeira mulher a dirigir o conselho de segurança da ONU. Antes de chegar às Nações Unidas, em 2013, Dina foi embaixadora na França entre 2001 e 2013 e durante parte desse período, se ocupou também das relações de seu país com Portugal e o Vaticano.
Bacharel em Relações Internacionais no Mills College (Oakland, Califórnia) em 1983, ela continuou seus estudos na Columbia University. Ela fez mestrado em Assuntos Internacionais, especializado no Oriente Médio, em 1985. Desde então, ela se juntou ao escritório do príncipe El Hassan, irmão do rei Hussein da Jordânia como pesquisadora e chefe de relações com a imprensa. Em paralelo, ela estudou no Centro Internacional de Negócios da prestigiada Universidade de Harvard entre 1987 e 1988 .
A embaixadora jordaniana lamenta que no mundo muita gente tenha apenas "uma imagem da mulher árabe" e seja difícil superar esse estereótipo no qual ela não encaixa.

"Às vezes me perguntam, por que você não é como uma mulher árabe? E eu respondo que sou uma mulher árabe. (...) Se não se encaixa na imagem do que acreditam ser uma mulher árabe, então eles acham que você não é uma", explicou na citada entrevista.



XXXXXXXXXXXXXXX

Dana Halabi


Cantora e modelo libanesa



Dana Halabi é uma cantora e modelo libanesa. Ela nasceu no Kuwait em 18 de janeiro de 1987. Ela passou a maior parte de sua infância no Líbano e formou-se em Design de Interiores da Universidade Americana de Ciência e Tecnologia em 2006.
Já fez vários concertos em todo o Oriente Médio e Europa, e participou dos festivais mais importantes do mundo árabe. Ela também apareceu em muitos vídeos de música, programas de TV e revistas.
Ela começou a desfilar em 2001 e foi eleita Miss Dança Oriental de 2004. Dana foi eleita nas pesquisas da internet como uma das mais sexys cantoras árabes e foi eleita senhorita grávida de 2009.
Em 2008, Dana casou com um advogado em uma cerimônia privada em Chipre, assistido exclusivamente por amigos próximos e familiares. Dana colocou sua carreira em espera durante a gravidez e anunciou, numa conferência de imprensa em maio 2009, que ela estava dando um tempo para se dedicar à sua família. Dana tem um menino chamado Carl nasceu em 2009 e uma garota chamada Tamara nascido em 2011. Ela atualmente reside em Dubai com o marido e os filhos.
Dana lançou várias faixas populares, incluindo ‘Ana Dana’, ‘Inta Meen’ , ‘Bos Alaya', 'Miya el Miya', 'TO2 Moot ‘,’ Doudou’, e sua mais recente canção, 'Ana El Asl’.


XXXXXXXXXXXXXXX


Elissa

Cantora libanesa

Cantora libanesa


Elissar Zakaria Khoury, é uma das mais premiadas cantoras libanesas, tendo recebido vários prêmios internacionais. Nascida em Deir el Ahmar, Líbano em 27 de outubro de 1971. Ela é uma das cantoras mais conhecidas no mundo árabe e é considerada um dos vendedores de disco no Oriente Médio.

Famosa por seu estilo passional de música vocal e capacidades únicas, Elissa é muitas vezes referida como a "Rainha do Romance" e "Rainha dos sentimentos" . Elissa foi o primeiro músico libanês a ganhar o World Music Award em 2005 e 2006 por melhor venda de álbuns no Oriente Médio.


XXXXXXXXXXXXXXX




Amal Hijazi
Cantora libanesa

Cantora libanesa

Amal Hijazi, é uma cantora libanesa, nascida em 20 de fevereiro de 1977 na cidade de Kfarfila, Sul do Líbano.

Amal Hijazi é formada com engenheira arquiteta.

Um dos maiores ícones da música pop árabe, ela é uma das cantoras libanesas mais ativos e fez uma série de concertos em todo o mundo e inúmeras aparições na TV.

Depois de sua longa carreira como modelo, Amal Hijazi lançou seu álbum de estreia, Akher Gharam em 2001, para o sucesso comercial. E se tornou um dos álbuns mais vendidos do ano, ranking em número de oito cartas de vendas oficiais publicados pela Chart Magazine. Ela lançou seu segundo álbum Zaman em meados de 2002 com um sucesso ainda maior. O álbum lançou quatro singles número um hit, "Zaman", "Oulhali", "Einak" e "Romansyia", catapultando-a para o sucesso fenomenal. Um terceiro álbum Bedawwar A Albi foi lançado no início de 2004, seguida do lançamento de seu quarto álbum de Baya al Ward em 2006.

Amal Hijazi continuou na vanguarda da música pop com o lançamento de seu muito aguardado Golfo single "Nefsy Tefhamny" em 2007. Ela lançou seu quinto álbum de estúdio Keef el Amar em 2008, trazendo-a de volta, assim, no centro das atenções mais uma vez.

A vida pessoal de Amal Hijazi começou a ganhar mais atenção da mídia depois de seu rompimento de seu ex-gerente de negócios Charbel Doumit. Ela agora vive com o marido em Beirute e adotou uma menina chamada Nour (antes de seu casamento) e tem dois filhos com seu marido, Karim (nascido em 2009) e Lareen (nascido em 2012). Além disso, Amal Hijazi é conhecida por seu apoio em projetos de caridade, promovendo causas humanitárias em todo o mundo.


Enquanto alguns cantores podem pensar que a maior gravadora do mundo árabe "Rotana" é intocável, a cantora libanesa Amal Hijazi não acha! Ela moveu uma ação judicial contra a empresa de produção de música, por não cumprir os termos e condições de seu contrato, informou o site Sayidaty.net. "Rotana" é culpada de não produzir um álbum de música para  Amal , que viola claramente o termo afirmando que um álbum completo deve ser inteiramente produzido por eles anualmente. Isso, no entanto, não impediu Amal de anunciar uma nova versão single "El Layli", que é considerado uma das músicas de dança mais popular durante a vida de sua carreira.

XXXXXXXXXXXXXXX

Najwa Karam

Cantora libanesa

Cantora libanesa


Nicola Najwa Karam, é uma cantora libanesa, nascida na cidade de Zahlé, em 26 de fevereiro de 1966.                      
 Filha de Karam Karam e Karam Chahine Barbara, uma família de libaneses maronitas. Ela é a caçula de cinco filhos, tem uma irmã mais velha, Salwa, e três irmãos mais velhos, Tony, Jean, e Nicolas. Passou sua infância em Zahle, sob os cuidados de seus pais e irmãos mais velhos. Desde cedo, Najwa era conhecida entre seus amigos e parentes para sua voz poderosa, mas seus pais enfatizaram a necessidade de uma educação normal para que tivesse além de uma carreira como cantora, tivesse uma educação normal como qualquer pessoa.
Najwa estudou no Colégio Anjo, e em seguida, trabalhou como professora por dois anos no Eastern College em Zahle.
Em 1985, Najwa decidiu seguir uma carreira musical, participando do concurso de canto de televisão Layali Lubnan (Noites Libanesa), embora contra a vontade de seu pai. Interpretando variedades populares do tradicional Miwal libaneses em sua voz poderosa, Najwa venceu o concurso e recebeu a Medalha de Ouro. Devido à exposição pública que recebeu em virtude do programa, ela teve a aprovação de seu pai para poder cantar profissionalmente.
Após esta vitória, Najwa estudou no Instituto de Música do Líbano, durante quatro anos para melhorar o seu conhecimento da música e da indústria da música em geral. Ela estava sob a direção do renomado compositor libanês Zaki Nassif e Fouad Awad. Em 1987, Najwa participou de outro programa de televisão chamado Laylat Haz, onde ela foi muito bem aceita pelo público. Em 1989, Najwa ganhou o conhecimento e a experiência que ela precisava para fazer sua primeira tentativa de entrar no mundo do entretenimento musical árabe.
Sua carreira musical começou no final dos anos 80 com um sucesso moderado conseguindo afirmação profissional por volta dos anos 90, e é uma das cantoras árabes mais bem-sucedidas. Foi participante em inúmeros festivais e concertos em todo o mundo e recebeu vários prêmios em muitas organizações distintas. Ela também é artista mais bem paga da Rotana, sua gravadora atual, e maior gravadora do Oriente Médio, na qual possui contrato por tempo indeterminado, desde o ano de 1994.

Najwa fez uma turnê de nível internacional para complementar o sucesso de seu novo cd, tendo apresentações no Médio Oriente, e também França e os EUA com a presença de Wadih El Safi em todas as apresentações. Ela também viajou para a Austrália, onde seu concerto há ainda detém o recorde de maior público já registrado para um artista árabe. Najwa foi presenteado com uma série de prêmios e conquistas em 2003. Estas incluem "O Álbum Mais Vendido do Ano" da sua gravadora Rotana e prêmio de melhor cantora de canção libanesa tradicional do "Lions Club", melhor canção do ano "Edhak Lil Donya" pela emissora de rádio Sawt El Ghad da Austrália e um prêmio honorário pelo governo australiano.

XXXXXXXXXXXXXXX


Diana Haddad

Cantora libanesa

Cantora libanesa


Diana Joseph Fouad Haddad, é uma cantora e atriz libanesa, nascido em 01 de outubro de 1976, com cidadania dos Emirados Árabes. Conhecida como Diana Haddad, é uma das cantoras mais populares e bem-sucedidas e uma das melhores no mundo árabe, desde o final dos anos 1990. Recordista de vendas desde sua primeira canção Saken em 1996.  
Diana Haddad não se limita a um estilo de música, ela sabe como apresentar uma gama muito ampla, indo de canções mais rítmicas para os lentos românticos.
Ela chegou à fama em 1993, quando tinha apenas 16 anos. Enquanto ela estava gravando seu primeiro álbum, ela apareceu no show de talentos árabe, no Estúdio El Fan em Beirute onde cantou uma tradicional canção popular libanesa, escrita por Elias Abou Azala Tayr El Yammameh que seriam incluídas no seu primeiro álbum.
Três anos depois, ela lançou seu álbum de estréia,  Saken, que contou com o seu single Saken, Lagaitek. Logo depois ela teve sua primeira filha, Sophie.
Em 1997 ela lançou um dos álbuns mais bem-sucedidos em sua discografia, Ahl Al Esheg, que incluiu o hit single Ahl Al Esheg. Ela lançou o álbum pop mais popular da década de 1990, Ammanih.
Na década de 2000, ela lançou os álbuns mais aclamados pela crítica e bem-sucedidos, Awel Marrah e Diana 2006. Em 2007, Diana Haddad deu à luz sua segunda filha Mira em Dubai.

XXXXXXXXXXXXXXX


Myriam Fares


Cantora libanesa

Cantora libanesa

Myriam Fares, cantora libanesa de Kfar Shlel, uma pequena aldeia no sul do Líbano, perto da aldeia de Kfar Hatta, em 03 de maio de 1983. Myriam teve aulas de balé desde os cinco anos e nove ganhou o primeiro lugar na Tele-Liban (Al Mawahib Al Saghira) em dança oriental. Ele se matriculou no Conservatório Nacional de Música, onde estudou música durante quatro anos.
Aos dezesseis anos, participou do Festival da Canção de Líbano, onde ganhou o primeiro lugar. Aos dezessete anos, ela participou de Fan Studio 2000, representando o distrito de sul do Líbano e ganhou o primeiro lugar. Aos vinte anos, Myriam assinou seu primeiro contrato com a gravadora musical Mestre Internacional e lançou seu álbum de estreia, "Myriam", em 21 de outubro de 2003. O vídeo da música para a canção "Ana Wel Shouk" tornou-se um dos mais solicitadas pelo público.
Seu próximo passo foi filmar seu segundo vídeo da música "La Tis'alni", dirigido por Salim. No vídeo, Myrian faz duas personagens diferentes. Durante a turnê promocional de Myriam, para o seu álbum no Egito, ela foi considerada a "Melhor Artista Feminina" . Em 2008, foi escolhida para aparecer em anúncios de xampu Sunsilk e lentes de contato Freshlook. Myriam apareceu pela primeira vez na versão cinematográfica da peça de Rahbani Silina.
Myriam interpretou a “Sininho” em um musical na Holanda, onde ela canta em inglês.

Myrian também Fez um clip para a coca-cola na turnê internacional da copa 2014 com o Rapper americano “Flo-rida”.


XXXXXXXXXXXXXXX

Leila Khaled
Militante palestina

Militante palestina

Leila Ali Khaled é uma palestina nascida na cidade de Haifa, em 9 de abril de 1944. Militante da Frente Popular para a Libertação da Palestina, se tornou famosa nos anos 70 por ser uma das poucas mulheres árabes envolvidas em atividades de guerrilha. Atualmente é membro do Conselho Nacional Palestino.
Leila nasceu em Haifa, então parte integrante do Mandato Britânico da Palestina, numa família árabe de catorze irmãos. Aos quatro anos de idade ela e a sua família tiveram que abandonar a cidade devido à criação do estado de Israel em 1948 e à guerra que se seguiu. A família fixou-se num campo de refugiados em Tiro, no sul do Líbano.
Na adolescência juntou-se ao Movimento Nacionalista Árabe. Em 1963 mudou-se para o Kuwait, onde trabalhou como professora de inglês, enviando parte do dinheiro para sustentar a família. Foi neste país que se tornou membro da Frente Popular para a Libertação da Palestina.
Depois de 1970, o envolvimento de Leila na luta palestina torna-se mais discreto. Foi membro da OLP até 1982. É hoje membro do Conselho Nacional Palestino e participa regularmente em eventos como o Fórum Social Mundial.
Em 2015, ela denunciou o Daesh e seus métodos, durante uma visita à África do Sul  e afirmou que o Estado Islâmico é, de fato, uma organização sionista e norte-americana.
Atualmente vive em Amã, Jordânia, com o seu segundo marido, o médico Fayez Rashid. Tem dois filhos, Bader e Bashar.


XXXXXXXXXXXXXXX 

Georgina Rizk

Miss universo libanesa


Miss universo libanesa


Georgina Rizk, libanesa de Beirute, nascida em 23 de julho de 1953, é sem dúvida nenhuma, a rainha da beleza libanesa, eleita Miss Universo 1971, em Miami Beach, Estados Unidos, em 24 de julho daquele ano, a primeira miss do Oriente Médio (cinco anos depois a miss Israel foi eleita) e até hoje é a única mulher árabe a ser miss universo.
Nascida numa família cristã de Beirute, filha de pai libanês e mãe húngara, Georgina começou sua carreira de modelo aos 14 anos, quando foi descoberta por Andrée Lavidiotti, um modelo e produtor. O produtor enxergou um grande potencial na então adolescente e a colocou no mundo dos concursos de beleza. "Beleza é disciplina", disse.
       Georgina se submeteu a uma dieta rigorosa e aulas de postura e de dança, maquiagem e passarela, para poder participar de certames locais e de desfiles de moda. Em pouco tempo ela já estava trabalhando como modelo profissional no pequeno e limitado mercado de moda de Beirute.
Em 1970, inscreveu-se num concurso local de beleza, 'Miss Television', e venceu; em seguida foi eleita Miss Líbano e participou em novembro do Miss Mundo, em Londres, sem, contudo, conseguir classificação. O título ainda lhe daria o direito de representar o país no Miss Universo, no ano seguinte, onde o resultado seria diferente.
Em Miami, como ela já havia competido no Miss Mundo do ano anterior sem conseguir destaque, a princípio Georgina Rizk passou desapercebida pela imprensa local. Porém, após um desfile de maiô estarrecedor e um desfile em traje de noite memorável, em que usou um top revelador e decotado, barriga de fora e calças compridas justas no estilo odalisca que moldavam o corpo, cheios de bordados em estilo árabe, quebrando todos os padrões até então do concurso, ela começou a ser considerada como uma das favoritas.
No final, terminando entre o Top 5 com Austrália, Finlândia, Porto Rico e Eliane Guimarães, a Miss Brasil daquele ano, Georgina foi coroada a primeira Miss Universo libanesa, árabe e representante do Oriente Médio.

XXXXXXXXXXXXXXX 


Nancy Ajram

Cantora libanesa

Cantora libanesa


Nancy Nabil Ajram, é uma cantora libanesa multiplatinada e Embaixadora da Boa Vontade da UNICEF. Nascida em Beirute, 16 de maio de 1983. Com o apoio do seu pai, Nancy começou a atuar em criança, tendo lançado o seu primeiro álbum de estúdio aos 15 anos. Em 2004, lançou o seu segundo sucesso internacional, "Ah wa Nuss", o qual gerou vários singles bem recebidos, como por exemplo "Ah wa Nuss" (Sim, claro), "Lawn 'Ayunak" (A cor dos teus olhos) e "Anta Ih" (O que és?), tendo-se estabelecido nesse momento como ícone pop no Oriente Médio. Em 2007, Ajram tinha já vendido mais de 30 milhões de cópias, classificando-se como a terceira maior artista feminina da história do Líbano. Por razões comerciais, canta tanto em árabe padrão, como no dialeto egípcio, que tem uma pronuncia diferente.


XXXXXXXXXXXXXXX 

Princesa da Arábia Saudita Fatimah Kulsum

Princesa da Arabia Saudita

Princesa da Arabia Saudita



Fatimah Kulsum é uma princesa saudita, que figura entre as mulheres mais importantes e fortes do mundo árabe. Tem dedicado sua vida a organizações de caridade. A maioria das atividades empreendidas por estas organizações têm um objetivo maior que é o de melhorar as condições das mulheres na Arábia Saudita e no mundo árabe como um todo. Com seu coração puro e trabalho duro, muitas pessoas acreditam que a princesa Fatimah Kulsum será a voz das mulheres árabes nos próximos anos. Desde que ela se casou com um príncipe da Arábia Saudita, as mulheres passaram a desfrutar alguns direitos que antes era apenas um sonho. Ela está atualmente envolvida com muitas instituições de caridade e centros de bem-estar que lidam com mulheres árabes.

XXXXXXXXXXXXXXX

Fairuz
                                                                
Cantora libanesa

Cantora libanesa

Cantora libanesa
                                                            
Nihad Wadie 'Haddad, mundialmente conhecida com Fairuz, é uma das mais respeitadas e admiradas cantoras de todo mundo árabe. Libanesa, nascida em 20 de novembro de 1934.
Ela foi notada pela primeira vez no Festival Internacional de Baalbeck, na parte “Noites libanesas”, onde apresentou muitas das suas canções. Fairuz é comumente conhecida como "Embaixadora para as estrelas", "Vizinha à Lua" e “Joia do Líbano”

Fairouz, nascida de uma família cristã maronita e Siríaca Ortodoxa. Se converteu para a igreja ortodoxo oriental quando se casou com Assi Rahbani, um dos dois irmãos Rahbani que ajudaram a moldar a sua carreira de cantora. Ela também é mãe de cantor e compositor libanês   Ziad Rahbani e do diretor e fotógrafo libanês Rima Rahbani.

Fairouz canta para descrever a beleza, a paz e a liberdade de Líbano. Isto é especialmente indicado em sua canção: "Tetloj El Dini", no qual ela canta: "Taljak El Mahabbi OU Shamsak El Herreye" (O amor está na neve do Líbano e a liberdade é o sol do Líbano).
Em 1999 ela fez um show em Las Vegas, no MGM Grand Arena, que foi assistido por mais de 16.000 espectadores, em sua maioria árabes. Desde então, Fairuz tem realizado concertos esgotados no Festival Internacional de Beiteddine (Líbano) 2000-2003, Kuwait (2001), Paris (2002), Estados Unidos (2003), Amã (2004), Montreal (2005), Dubai, Abu Dhabi, Baalbeck, BIEL (2006), Atenas, [18] Amman (2007) Damasco, e Bahrain (2008).



XXXXXXXXXXXXXXX


Amal Alamuddin

Advogada libanesa

Advogada libanesa


Amal Ramzi Junia Alamuddin, é uma advogada libanesa, nascida em Beirute em 3 de fevereiro de 1978. Também conhecida como Srª Clooney.
Amal Alamuddin vivia com os pais e os três irmãos no vilarejo de Baakline, 45 quilómetros de Beirute. O local é famoso pela comunidade drusa, da qual a família Alamuddin faz parte. Por causa da Guerra do Líbano de 1982, ela e sua família fugiram para Gerrads Cross, Inglaterra, onde foi criada. Sua mãe, Baria Alamuddin, muçulmana sunita de Trípoli, Líbano era correspondente do jornal libanês Al-Hayat.
Amal formou-se pela Universidade de Oxford e fez mestrado na Escola de Direito de Nova York, EUA, onde se especializou em direitos humanos, internacional e penal.
Na época em que viveu em solo americano, Amal trabalhou como assistente da atual juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos, Sonia Sotomayor. Atualmente reside em Londres e atua em um dos escritórios de advocacia mais importantes do país, o Doughty Street Chambers.
       Como advogada, Amal que fala três idiomas, árabe, inglês e francês e também possui casos famosos no currículo, como o do jornalista Julian Assange, fundador do WikiLeaks, e o da ex-primeira-ministra da Ucrânia, Yulia Tymoshenko. Além disso, é conselheira do ex-secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, na Síria.

       Amal, que em árabe significa esperança, casou-se com o ator George Clooney.

XXXXXXXXXXXXXXX

Nadine Labaki
Atriz e diretora libanesa

Atriz e diretora libanesa

Nadine Labaki é uma atriz e diretora libanesa nascido 18 de fevereiro de 1974.
Obteve uma licenciatura em estudos audiovisuais na Universidade Saint Joseph, em Beirute, dirigindo seu filme de graduação, 11 Rue Pasteur, em 1997, que ganhou o Prêmio de Melhor Curta Cinema na Bienal do Cinema Árabe no Instituto do Mundo Árabe em Paris.
Em 1998, ela participou de um workshop no Cours Florent em Paris.
Passou a fazer anúncios diretos e vídeos de música para cantores renomados do Oriente Médio,  ganhando vários prêmios.
Em 2005, Labaki participou do Festival de Cannes Residence, a fim de escrever “Caramelo”, seu primeiro longa-metragem. Em 2006, ela passou a dirigir e atuar em um dos papéis principais em “Caramelo”, que mostra uma Beirute que a maioria das pessoas não estão familiarizadas. Ao invés de abordar questões políticas que têm assolado o Líbano, ela apresenta uma comédia que trata de cinco mulheres libanesas que vivem em Beirute e se reúnem em um salão de beleza e lidam com questões relacionadas ao amor, a sexualidade, tradição, decepção e ups diários e baixos. O filme estreou na Quinzena dos Diretores no Festival de Cannes em 2007 e foi um sucesso comercial no verão do mesmo ano. É vendido em todo o mundo e recolheu importantes prêmios em vários festivais ao redor do mundo, Nadine Labaki recebeu muitos elogios tanto como diretor e atriz, ficando entre os 10 melhores filmes de variedade para assistir, segundo o Sundance Film Festival.
Em 2008, o Ministério da Cultura e Comunicação francês deu-lhe as insígnias de Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras.
Em 2010, Nadine Labaki dirigiu e estrelou seu segundo longa-metragem, E agora, aonde vamos? Que aborda com humor um assunto delicado sobre uma vila em que de um lado está uma igreja, de outro uma mesquita, e no qual as mulheres tentam evitar que seus maridos iniciem uma guerra religiosa. O filme também estreou no Festival de Cannes no "UnCertain Regard categoria" em 2011. Foi um sucesso internacional e ganhou o prêmio Escolha Cadillac, no Toronto Film Festival. Também recolheu muitos outros prêmios em festivais ao redor do mundo, como o Festival de Cannes, Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, Stockholm Film Festival. O filme também foi indicado para melhor filme estrangeiro nos Critics Choice Awards em Los Angeles.
Ela foi selecionada para fazer parte do júri para o Un Certain Regard seção do 2015 Festival de Cannes.
Como atriz, atuou em Stray Bullet dirigido por Georges Hachem em 2010. Ela aparece na produção marroquina Rock The Casbah dirigido por Laila Marrakchi ao lado de atores Hiam Abbas e Lubna Azabal.
Em 2013, Nadine Labaki dirigiu e atuou em um dos episódios da franquia “Rio eu te amo”. O Milagre, no elenco, estavam Harvey Keitel e o menino brasileiro Cauã Antunes.
O filme conta a história de um ator estrangeiro que precisa usar um telefone público que está ocupado por um garoto que afirma estar esperando uma ligação de Jesus. É ambientando na região portuária, no bairro da Gamboa, e na Estação Leopoldina.
Labaki é poliglota, fluente em árabe, francês, Inglês e Italiano. Em 2007, ela se casou com o músico e compositor Khaled Mouzanar.

              XXXXXXXXXXXXXXX

Haifa Wehbe

Cantora e atriz libanesa


Cantora e atriz libanesa


Libanesa da cidade de Mahrouna. Nascida em 10 de março de 1976. É cantora, atriz, modelo, dançarina, compositora, produtora. Conhecida como Rainha do Pop Árabe. Haifa Wehbe é o primeiro símbolo sexual internacional dos árabes.
Haifa tornou-se miss Líbano aos 17 anos, quando já era modelo. Foi desclassificada do concurso de miss universo por ser casada. (desde os 15 anos com um rapaz escolhido por sua família).
Em 1996, já havia aparecido em mais de 100 capas de revistas em todo mundo. Em 1997, deu luz à sua única filha, Zainab. Em 1998 terminou seu casamento, perdendo o direito de conviver com sua filha.

Em 2002, venceu a versão árabe do reality-show The Farm, e começou sua carreira musical lançando de seu primeiro disco, o Huwa az-Zaman. A canção "Ragab", um dos singles do álbum, tinha um videoclipe escandaloso, em que ela, com roupas mínimas em cima de um barco, seduzia e enfrentava homens. Seu segundo disco, Baddi Eesh tinha como carro chefe a música "Ya Hayat Albi", versão da canção "Perittós", da cantora greco-alemã Despina Vandi. Em uma cena do videoclipe, os funcionários de uma cozinha cobrem seu corpo com mesas, improvisando um trocador, onde ela tira seu uniforme de empregada e veste uma roupa fatal. Seu maior escândalo musical só viria, porém, no seu terceiro disco, lançado em 2007, o Baby Haifa. No primeiro single do disco, "Wawa", Haifa vivia uma babá atrapalhada. Além de ter uma conduta extremamente sensual, mesmo perto da criança, Haifa termina o vídeo realizando uma coreografia sensual junto a cinco homens, algo muito comum no ocidente, mas até então inédito no mundo árabe.

5 comentários:

  1. Mulheres árabes são muito gatas mesmo, umas divas.

    ResponderExcluir
  2. Sou fã da Nadine,alem de belissima e inteligente é otima atriz e diretora.

    ResponderExcluir